sábado, 12 de maio de 2018

Vagina.


Um lugar íntimo. Particular. Privado (com a exceção de algumas fotos espalhadas por aí.)
Me trouxe pequenos prazeres e junto deles, problemas.
Quer dizer, eu não estou tentando encontrar um culpado, você é praticamente um objeto inanimado.
Os sangramentos ao final do mês ou lubrificações involuntárias a cada homem bonito cobiçado pelas ruas, não lhe cabem este título: o de objeto inanimado.
Sua delicadeza e cheiro de um desses sabonetes que não lembro mais o nome, me levam há lugares agora distantes, como o pau do... (não vamos mencionar estes nomes, pois tratam-se de baixos palavreados e, não é o momento para isso.)
Apesar do tamanho, comporta coisas grandes -isso já entra em discussão com a questão do "privado".
Não me leve a mal, eu não quero te expor!
Por sua causa o restante do corpo já esteve presente em lugares elegantes (outros nem tanto.)
És criticada por sua alta camada de pelos, eles são grossos demais e não lhe caem bem. Diferente das rendas escuras daquela calcinha comprada de ultima hora para agradar mais um de seus convidados.
Mas na maioria das vezes, tem sua pele arranhada por lâminas.
Eu só queria te dizer que, apesar dos pesares, temos uma amizade intocável que, em certas ocasiões é,

tocável.

2 comentários: